Skip to main content

O níquel é um metal barato,de coloração branco-prateada, levemente duro, maleável, com boa resistência à corrosão.Ele resiste a manchas e dá a aparência de prata e outros metais mais caros a outros metais. Jóias de baixo custo geralmente usam uma liga de níquel como metal base e usam uma sobreposição no processo de revestimento para cobrir o metal base. No entanto, muitas pessoas são alérgicas ao níquel, o que pode causar erupções cutâneas e outras alergias na pele.

Também considerado um metal de transição (está no grupo 10 da tabela periódica), é usado em mais de 300 mil produtos, segundo informações do Nickel Institute, uma associação que representa os interesses dos maiores produtores mundiais do metal.

No Brasil, a maior parte da produção é usada na fabricação de aço inoxidável. Mas ainda assim, podemos encontrar o níquel em uma infinidade de artigos: pilhas recarregáveis, moedas, aparelhos eletrônicos e — naturalmente — semijoias.

Prata esterlina estampada “925” feita de pelo menos 92,5% de prata pura e 7,5% de ligas compostas de cobre. Em alguns casos de prata esterlina, uma pequena porcentagem de outros metais pode estar na mistura, de modo que traços de níquel podem estar presentes durante a produção. A Diretiva de Níquel da UE determina a quantidade de níquel em joias. O termo “sem níquel” ainda pode conter uma quantidade muito pequena de níquel em torno de 0,2 microgramas por cm por semana para brincos e 0,5 microgramas por cm por semana para outros produtos.

A principal razão pela qual muitos fabricantes de jóias ainda usam níquel é para diminuir os custos de produção. É por isso que as joias sem níquel costumam ser mais caras do que as joias que contêm níquel.  Nós da A Dondoca optamos trabalhar com fornecedores que oferecem apenas jóias sem níquel, incluindo anéis, brincos, pingentes, colares, pulseiras e braceletes.

O que são semijoias “níquel free”?

Semijoias “níquel free” são peças que não levam níquel em seu processo de fabricação. Com isso, elas são consideradas antialérgicas, pois o fabricante retirou da composição do produto o principal causador de irritações na pele.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 20% da população mundial é alérgica ao níquel. A ausência desse material, portanto, é um bom indicativo de que a consumidora não terá uma reação desagradável ao usar a semijoia.

Por outro lado, algumas pessoas podem manifestar sensibilidade a outros componentes do produto, inclusive aos metais mais nobres, como o ouro ou a prata. É raro, mas acontece.

Com isso, podemos dizer que não há semijoia 100% antialérgicas. Entretanto, fabricar semijoias sem níquel diminui consideravelmente a possibilidade de reações adversas — além de demonstrar o zelo do fabricante para com suas clientes, uma vez que há um aumento de custo de produção envolvido.

Alergias e o que é dermatite de contato?

A dermatite de contato é uma inflamação da pele que ocorre após o contato com alguma substância ou objeto irritante, como cosméticos, perfumes, sabonete, produto de limpeza ou bijuteria e semijoias, por exemplo.

A irritação causada pela dermatite de contato leva ao aparecimento de sintomas, como coceira, vermelhidão intensa, inchaço, ressecamento da pele e descamação.

É importante que a causa da dermatite seja identificada, pois assim é possível evitar o objeto ou a substância irritante. Além disso, é recomendado consultar um dermatologista para iniciar o tratamento mais adequado de acordo com a gravidade dos sintomas.

A reação alérgica provocada pelo níquel é a causa mais comum de dermatite de contato no mundo e afeta principalmente as mulheres.

De maneira geral, os médicos alertam que a maioria das alergias não tem tratamento e, a partir do momento em que o paciente descobre o problema, é preciso evitar o contato com a substância causadora.

Em razão disso, alguns governos de países desenvolvidos criaram leis para proteger as consumidoras dos efeitos negativos do níquel. A União Europeia, por exemplo, limita a quantidade desse metal que pode ser colocada em produtos que tenham contato prolongado com a pele.

No Brasil, entretanto, ainda não existe uma legislação que proteja a população desse tipo de problema. Aqui, o níquel é permitido e muitas empresas utilizam esse metal no processo de fabricação de semijoias e bijuterias.

O mesmo ocorre na China, de onde uma boa quantidade de semijoias comercializadas no nosso país é importada. As empresas mais conscientes, no entanto, investem em produtos com o selo “níquel free”.

Como se produz uma semijoia sem níquel?

Para fabricar uma peça “níquel free”, as empresas precisam substituir o níquel da camada intermediária da semijoia por outro metal. Uma boa alternativa é o paládio, que também é bastante resistente e não causa alergia. Porém, por ser um metal nobre, o paládio acaba aumentando bastante o custo de fabricação do produto.

O fato de, nem todo fabricante  pensar assim, preferindo valorizar o custo menor que o níquel representa, em detrimento do prejuízo que isso possa resultar.

Sendo assim, as consumidoras devem procurar saber quais são as empresas que trabalham com produtos “níquel free” e optar sempre por semijoias sem níquel — mais seguras e igualmente duráveis.

Agora que você sabe o que é níquel e como ele pode prejudicar sua saúde, visite a loja virtual A Dondoca e conheça nossas semijoias antialérgicas!

 

Leave a Reply

Fale com A dondoca
Enviar via WhatsApp